FLUXOGRAMA E ELEMENTOS DO PROCESSO DE TRABALHO DO GERENTE NO TERRITÓRIO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Franscisco Rosemiro Guimaraes Ximenes Neto, José Jackson Coelho Sampaio, Marcelo Gurgel Carlos da Silva, Maria Angela Alves do Nascimento, Maria Salete Bessa Jorge

Resumo


O estudo objetiva analisar o fluxograma e os elementos do processo de trabalho do gerente no território da Estratégia Saúde da Família (ESF). A pesquisa é do tipo exploratório-descritiva, sob abordagem qualitativa, realizado em Sobral - Ceará, com 28 gerentes de território da ESF, no período de novembro de 2006 a junho de 2007. As informações foram coletados a partir das técnicas de grupo focal e da entrevista semi-estruturada; sendo que as informações foram sistematizadas e analisadas a partir da categorização em figuras temáticas. O estudo mostra um coletivo de práticas desenvolvidas pelos gerentes, sejam elas individual ou coletiva, no cuidado às famílias, sujeitos e comunidades e no gerenciamento do Centro de Saúde da Família, do território
e de processos administrativos. Contudo, os gerentes devem: assumir cada vez mais a gestão participativa, a co-gestão, como um desenho de uma práxis gerencial e organizar seu processo de trabalho com base em tecnologias leves; e utilizar ferramentas potentes de gestão, no dia-a-dia, em seu território. Assim como, a Gestão Sanitária deve prover aos gerentes de uma política de educação na saúde, com um processo formativo denso; além de estabelecer as atribuições destes e provê-los de mais autonomia.

Texto completo:

PDF

Referências


Silva IZQJ, Trad LAB. O trabalho em equipe no PSF:

investigando a articulação técnica e a interação entre os

profissionais. Interface (Botucatu) 2005; 9(16):25-38.

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Assistência

à Saúde, Coordenação de Saúde da Comunidade. Saúde da

Família: uma estratégia para a reorientação do modelo

assistencial. Brasília: Ministério da Saúde; 1997. 36 p.

Germano RM, Formiga JMM, Bezerra de Melo MN, Vilar

RLA, Almeida Júnior JJ. Capacitação das equipes do PSF:

desvendando uma realidade. In: Castro JL, organizadora.

Gestão do trabalho no SUS: entre o visível e o oculto.

Observatório RH-NESC/UFRN; 2007. p. 105-132.

Rosa WAG, Labate RC. Programa Saúde da Família: a

construção de um novo modelo de assistência. Rev Lat Am

Enfermagem 2005; 13(6):1027-34.

Ministério da Saúde. (Brasil). Portaria Nº 2.203, de 5 de

novembro de 1996. Norma Operacional Básica do Sistema

Único de Saúde/NOB-SUS 1/96. Diário Oficial da União.

Brasília, DF; 1997. 34 p.

Pereira SA. Modos de gerenciar cuidado e serviço no

Programa Saúde da Família em Belo Horizonte [dissertação].

Belo Horizonte: Escola de Enfermagem da Universidade

Federal de Minas Gerais; 2005.

Campos GWS. Subjetividade e administração de pessoal:

considerações sobre modos de gerenciar o trabalho em

equipes de saúde. In: Merhy EE, Onocko R. Agir em saúde:

um desafio para o público. São Paulo: HUCITEC; 1997. p.

-66.

Vanderlei MIG, Almeida MCP. A concepção e prática

dos gestores e gerentes da Estratégia Saúde da Família.

Cien Saude Colet 2007; 12(2):443-53.

Fracolli LA, Egry EY. Processo de trabalho de gerência:

instrumento potente para operar nas práticas de saúde?. Rev

Lat Am Enfermagem 2001; 9(5):13-8.

Franco T, Merhy EE. Programa Saúde da Família-PSF:

contradições de um programa destinado à mudança do

modelo tecnoassistencial. In: Merhy EE, Magalhães Júnior

HM, Rimoli J, Franco TB, Bueno WS. O trabalho em saúde:

olhando e experenciando o SUS no cotidiano. 3. ed. São

Paulo: HUCITEC; 2006. p. 55-124.

Pasche DF. Gestão e subjetividade em saúde: elementos

para uma reforma da saúde. In: Pasche DF, Cruz IBM. A saúde

coletiva: diálogos contemporâneos. Ijuí: Unijuí; 2005. p.

-110.

Merhy EE. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. 2. ed.

São Paulo: HUCITEC; 2005.

Kekki P. Formación de administradores de servicios

de atención primaria de salud. Foro Mund Salud 1994;

(3):302-7.

Vanti N. Ambiente de qualidade em uma biblioteca

universitária: aplicação do 5S e de um estilo participativo

de administração. Ci Inf 1999; 28(3):333-9.

Vasconcelos CM. Política e gestão no SUS: uma

interação conflitiva. In: Castro JL, Formiga JMM, Vilar RLA,

organizadores. Política e gestão em saúde: reflexões e

estudos. Observatório RH-NESC/UFRN; 2006. p. 49-68.

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Gestão do

Trabalho e da Educação em Saúde, Departamento de Gestão

da Educação na Saúde. Curso de formação de facilitadores de

educação permanente em saúde: unidade de aprendizagem –

trabalho e relações na produção do cuidado em saúde. Rio de

Janeiro: Ministério da Saúde/FIOCRUZ; 2005.

Tancredi FB, Barrios SRL, Ferreira JHG. Planejamento em

saúde. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da Universidade

de São Paulo; 1998; 2: (Série Saúde & Cidadania).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


REVISTA SANARE

Revista de Políticas Públicas

Escola de Formação em Saúde da Família Visconde de Sabóia - EFSFV

Nucleo de Estudos e Pesquisas em Saúde - NEPS

Av. Comandante Maurocelio Rocha, 150 - Bairro Derby - Sobral/CE

CEP: 62014-630  Fone/Fax: (88) 3611.5861 / 3611.5570

Email: conselhoeditorialsanare@yahoo.com.br / revista_sanare@hotmail.com