INVESTIGAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO MUNICÍPIO DE SOBRAL, CEARÁ DE 2014 A 2018

Moisés Bruno Marinho Rocha

Resumo


A leishmaniose visceral (LV) é uma doença causada por protozoário da família Psychodidae, gênero Leishmania, transmitida por flebotomíneos, conhecidos popularmente como mosquitos-palha. O Brasil é um país de área endêmica, registrando ocorrência de casos em todas as regiões nacionais, razão pela qual se mostra necessário um estudo ativo de casos notificados e confirmados dessa parasitose. O objetivo deste estudo foi fazer um levantamento epidemiológico na base de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) sobre o número de casos notificados de LV no quinquênio de 2014 a 2018 em Sobral-CE. As variáveis analisadas foram a incidência dos casos de LV em Sobral e, em nível estadual, a zona de residência, a faixa etária, a escolaridade e a evolução da doença. De acordo com os dados obtidos e tabulados em gráficos e tabelas, identificou-se um padrão de indivíduo que pode ser acometido pela doença, além de dados que reforçam o fato da LV ser considerada caso novo, de recidiva ou de transferência. Depois da revisão dos dados, constatou-se que as medidas preventivas são efetivas, mas o Município de Sobral ainda é definido como área endêmica, por ter um dos maiores números de casos do Estado do Ceará.


Texto completo:

PDF

Referências


Oliveira LS, Dias Neto RV, Braga PET. Perfil epidemiológico dos casos de leishmaniose visceral em Sobral, Ceará, no período de 2001 a 2010. Sanare (Sobral, Online) [serial on the internet]. 2013 [cited 2018 Nov 6];12(1):13-9. Available from: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/323

World Health Organization. Leishmaniasis [document on the internet]. 2018 [cited 2018 Nov 6]. Available from: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/leishmaniasis

Brasil. Guia de vigilância em saúde. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2016.

Menezes JA, Maia KN, Verne RN, Madureira AP, Schall VT, Souza CM. Leishmanioses: o conhecimento dos profissionais de saúde em área endêmica. Rev Bras Promoç Saúde [serial on the internet]. 2014 [cited 2018 Nov 6];27(2):207-15. Available from: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/2568

Carvalho FL, Aires DLS, Segunda ZF, Azevedo CMPS, Corrêa RGCF, Aquino DMC, et al. Perfil epidemiológico dos indivíduos HIV positivo e coinfecção HIV-Leishmania em um serviço de referência em São Luís, MA, Brasil. Ciênc Saúde Colet [serial on the internet]. 2013 [cited 2018 Nov 6];18(5):1305-12. Available from: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232013000500015

Brasil. Leishmaniose visceral. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2018.

Lisboa AR, Pinheiro AAV, Dantas AEF, Oliveira IT, Evangelista TR, Pereira KKEA. Leishmaniose visceral: uma revisão literária. Revista Brasileira de Educação em Saúde [serial on the internet]. 2016 [cited 2018 Nov 6];6(2):35-43. Available from: https://www.gvaa.com.br/revista/index.php/REBES/article/view/4663/4037

Sousa NA, Linhares CB, Pires FGB, Teixeira TC, Lima JS, Nascimento MLO. Perfil epidemiológico dos casos de leishmaniose visceral em Sobral-CE, de 2011 a 2015. Sanare (Sobral, Online) [serial on the internet]. 2018 [cited 2018 Nov 6];17(1):51-7. Available from: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1222

Martins CP, Brandão MGSA, Braga MM, Sampaio LBF, Barros LM, Pacheco JCB. Monitoramento epidemiológico como instrumento de apoio à gestão de saúde: análise das notificações de leishmaniose visceral em Sobral, Ceará. Rev Adm Saúde [serial on the internet]. 2018 [cited 2018 Nov 6];18(72). Available from: http://www.cqh.org.br/ojs-2.4.8/index.php/ras/article/view/117

Silva PL, Alves TL, Teixeira PN, Pereira JS, Gomes MTV, Rios MA. Epidemiologia da leishmaniose visceral em um município da Bahia. Revista Saúde.Com [serial on the internet]. 2017 [cited 2019 Apr 10];13(3):933-40. Available from: http://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/3326

Alves EHA, Lima GH, Cavalcante FRA. Leishmaniose visceral canina no Município de Sobral no período de 2014 a 2016. Ciência Animal [serial on the internet]. 2017 [cited 2019 Apr 10];27(2):62-5. Available from: http://www.uece.br/cienciaanimal/dmdocuments/SIMPAVET%2062-65.pdf

Correia AVGM. Perfil clínico-epidemiológico da leishmaniose visceral em Teresina-PI [dissertação]. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz; 2015.

Lôbo GO, Macêdo MPS, Alencar GO, Ribeiro PVL, Borges KDM. Análise epidemiológica dos casos de leishmaniose visceral na macrorregião do Cariri, Ceará. Revista Interdisciplinar de Ciências Médicas [serial on the internet]. 2017 [cited 2019 Apr 10]. Available from: https://gpicursos.com/interagin/gestor/uploads/trabalhos-feirahospitalarpiaui/fef3540e6563894a1d9e059d41b05c52.pdf

Brasil. Manual de recomendações para diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes com a coinfecção leishmania-HIV. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2015.

Brasil. Guia de vigilância em saúde: volume único. 3. ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2019.

Brasil. Boletim Epidemiológico: leishmaniose visceral. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2019.

Santos AV, Macedo CS, Lima SS, Santos TA, Almeida IB, Braz JVC. Co-infecção leishmaniose visceral/HIV: uma revisão de literatura. XVIII Semana de Pesquisa da Unit; 2016 Oct 24-28; Aracaju, BR. Anais [serial on the internet]. 2016 [cited 2018 Oct 3]. Available from: https://eventos.set.edu.br/index.php/sempesq/article/view/3863




DOI: https://doi.org/10.36925/sanare.v19i1.1283

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


S A N A R E  - Revista de Políticas Públicas

Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia - ESP-VS

Av. John Sanford, nº 1320 - Bairro Junco - Sobral/CE

CEP: 62030-362  - Fone:(88) 3614.5520

Email: revista_sanare@hotmail.com