VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL: PRÁTICAS ALIMENTARES DE CRIANÇAS MAIORES DE DOIS ANOS

Brena Barreto Barbosa, Caroline Moreira Arruda, Natália Sales de Carvalho

Resumo


Este estudo objetivou analisar as práticas alimentares de crianças do município de Acaraú, no Ceará, com base em marcadores de consumo alimentar e recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira. Estudo transversal, quantitativo e descritivo, realizado entre agosto de 2018 a fevereiro de 2019. Foram aplicados os formulários de marcadores de consumo alimentar do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) com 571 crianças maiores de dois anos. Os dados foram inseridos na plataforma online do SISVAN e analisados através dos relatórios públicos para obtenção de indicadores de padrões de alimentação e comportamentos alimentares considerados saudáveis e não saudáveis. O consumo de alimentos in natura e comportamentos alimentares saudáveis foram identificados em mais da metade da população, exceto para ingestão de verduras e legumes (48,4%) em crianças dos 5 a 9 anos. Os alimentos ultraprocessados e comportamentos alimentares não saudáveis obtiveram valor superior a 50%, destacando-se o consumo de bebidas adoçadas (78,5%), macarrão instantâneo e salgadinho de pacote (77,5%) na faixa dos 2 a 4 anos. As práticas alimentares estão inadequadas frente às recomendações do atual Guia Alimentar, uma vez que há alto percentual para padrões de alimentação e comportamentos alimentares não saudáveis.




DOI: https://doi.org/10.36925/sanare.v20i1.1448

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


S A N A R E  - Revista de Políticas Públicas

Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia - ESP-VS

Av. John Sanford, nº 1320 - Bairro Junco - Sobral/CE

CEP: 62030-362  - Fone:(88) 3614.5520

Email: revista_sanare@hotmail.com