VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL: PRÁTICAS ALIMENTARES DE CRIANÇAS MAIORES DE DOIS ANOS

Brena Barreto Barbosa, Caroline Moreira Arruda, Natália Sales de Carvalho

Resumo


Este estudo objetivou analisar as práticas alimentares de crianças do município de Acaraú, no Ceará, com base em marcadores de consumo alimentar e recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira. Trata-se de estudo transversal, quantitativo e descritivo, realizado entre agosto de 2018 e fevereiro de 2019. Foram aplicados os formulários de marcadores de consumo alimentar do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) em 571 crianças maiores de dois anos. Os dados foram inseridos na plataforma on-line do SISVAN e analisados por meio dos relatórios públicos para a obtenção de indicadores de padrões de alimentação e comportamentos alimentares considerados saudáveis e não saudáveis. O consumo de alimentos in natura e comportamentos alimentares saudáveis foram identificados em mais da metade da população, exceto para a ingestão de verduras e legumes (48,4%) em crianças dos 5 aos 9 anos. Os alimentos ultraprocessados e comportamentos alimentares não saudáveis obtiveram valor superior a 50%, destacando-se o consumo de bebidas adoçadas (78,5%), macarrão instantâneo e salgadinho de pacote (77,5%) na faixa de 2 a 4 anos. As práticas alimentares estão inadequadas diante das recomendações do atual Guia Alimentar, uma vez que há alto percentual de padrões de alimentação e comportamentos alimentares não saudáveis.


Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. 2. ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013.

Brasil. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil [serial on the internet]. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2010 [cited 2019 June 14]. Available from: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/bibliotecacatalogo

?view=detalhes&id=250063

Batista Filho M, Rissin A. A transição nutricional no Brasil: tendências regionais e temporais. Cad Saúde Pública. 2003;19(suppl.1):S181-S191. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2003000700019

Vernarelli JA, Mitchell DC, Hartman TJ, Rolls BJ. Dietary energy density is associated with body weight status and vegetable intake in US children. J Nutr. 2011;141(12):2204-10. doi: https://doi.org/10.3945/jn.111.146092

Brasil. Sistema de vigilância alimentar e nutricional (SISVAN). Módulo gerador de relatórios públicos: estado nutricional dos indivíduos acompanhados por período, fase do ciclo da vida e índice [serial on the internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2018 [cited 2018 Oct 23]. Available from: http://dabsistemas.saude.gov.br/sistemas/sisvan/relatorios_publicos/relatorio-acomp-nutri.view.php

Schmidt MI, Duncan BB, Azevedo e Silva G, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. Lancet [serial on the internet]. 2011 [cited 2019 Mar 4];6736(11):60135-139. Available from: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/269298/mod_resource/content/1/Saude%20no%20Brasil%20artigo%204%20Lancet%202011.pdf

Peters J, Dollman J, Petkov J, Parletta N. Associations between parenting styles and nutrition knowledge and 2–5-year-old children's fruit, vegetable and non-core food consumption. Public Health Nutrit. 2013;16(11):1979-87. doi: https://doi.org/10.1017/S1368980012004648

Brasil. Orientações para avaliação de marcadores de consumo alimentar na atenção básica. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2015.

Brasil. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014.

Monteiro CA, Cannon G, Levy RB, Moubarac J-C, Jaime P, Martins AP, et al. NOVA. The star shines bright. World Nutrition [serial on the internet]. 2016 [cited 2020 May 12];7(1-3):28-38. Available from: https://worldnutritionjournal.org/index.php/wn/article/view/5/4

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Relatório populacional por cidade: Acaraú [serial on the internet]. 2018 [cited 2019 June 24]. Available from: https://cidades.ibge.gov.br/

brasil/ce/acarau/panorama

Brasil. Notícias: Começa o período de adesão ao Crescer Saudável 2017-2018 [serial on the internet]. 2019 [cited 2019 June 24]. Available from: https://aps.saude.gov.br/noticia/5394

Brasil. Resolução n.º 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União [document on the internet]. 2012 [cited 2019 Mar 4]; Seção 1. Available from: http://www.conselho.saude.gov.br/

resolucoes/2012/Reso466.pdf

Moraes PM, Dias CMSB. Nem só de pão se vive: a voz das mães na obesidade infantil. Psicol Ciênc Prof (Impr.). 2013;33(1):46-59.

Araki EL, Philippi ST, Martinez MF, Estima, CCP, Leal GVS, Alvarenga MDS. Padrão de refeições realizadas por adolescentes que frequentam escolas técnicas de São Paulo. Rev Paul Pediatr. 2011;29(2):164-70. doi: https://doi.org/10.1590/S0103-05822011000200006

Hare-Bruun H, Nielsen BM, Kristensen PL, Møller NC, Togo P, Heitmann BL. Television viewing, food preferences, and food habits among children: a prospective epidemiological study. BMC Public Health. 2011;11(1):311-21. doi: https://doi.org/10.1186/1471-2458-11-311

De Rezende LFM, Lopes MR, Rey-López JP, Matsudo VKR, Luiz OC. Sedentary behavior and health outcomes: an overview of systematic reviews. PloS one. 2014;9(8):e105620. doi: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0105620

Vitolo MR. Nutrição da gestação ao envelhecimento. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Rubio; 2015.

Molz P, Pereira CS, Reuter CP, Pra D, Franke SIR. Factors associated with the consumption of five daily servings of fruits and vegetables by students. Rev Nutr [serial on the internet]. 2019 [cited 2020 Aug 27];32:e180156. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?scrip

t=sci_arttext&pid=S1415-52732019000100511&lng=en

Lira RCM, Antunes LR, De Mesquita KO. Experiência de abordagem sobre alimentação entre crianças. Sanare (Sobral, Online) [serial on the internet]. 2016 [cited 2021 June 22];15(1):69-73. Available from: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/930/559

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil [serial on the internet]. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2020 [cited 2020 June 26]. Available from: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101742

Sparrenberger K, Friedrich RR, Schiffner MD, Schuch I, Wagner MB. Consumo de alimentos ultraprocessados entre crianças de uma Unidade Básica de Saúde. J Pediatr. 2015;91(6):535-42. doi: https://doi.org/10.1016/j.jped.2015.01.007

Louzada MLC, Martins APB, Canella DS, Baraldi LG, Levy RB, Claro RM, et al. Alimentos ultraprocessados e perfil nutricional da dieta no Brasil. Revista de Saúde Pública. 2015;49(38):1-11. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2015049006132

Vale D, Morais CMM, Pedrosa LFC, Ferreira MAF, Oliveira AGRC, Lyra CO. Correlação espacial entre o excesso de peso, aquisição de alimentos ultraprocessados e o desenvolvimento humano no Brasil. Ciênc Saúde Coler. 2019;24:983-96. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018243.35182016

Reilly JJ, Kelly J. Long-term impact of overweight and obesity in childhood and adolescence on morbidity and premature mortality in adulthood: systematic review. Internat J Obes. 2011;35(7):891-98. doi: https://doi.org/10.1038/ijo.2010.222




DOI: https://doi.org/10.36925/sanare.v20i1.1548

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


S A N A R E  - Revista de Políticas Públicas

Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia - ESP-VS

Av. John Sanford, nº 1320 - Bairro Junco - Sobral/CE

CEP: 62030-362  - Fone:(88) 3614.5520

Email: revista_sanare@hotmail.com