CONHECIMENTO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE ACERCA DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E SUA OPERACIONALIZAÇÃO - ARARIPINA, PERNAMBUCO

Claylsonn André Batista Alencar, Marcelo Alves de Oliveira, Jameson Moreira Bélem, Jeanderson Soares Parente, Grayce Alencar Albuquerque

Resumo


A criação do Sistema Único de Saúde (SUS) tem sido analisada como a mais bem-sucedida reforma da área social empreendida sob o novo regime democrático. Dentre os profissionais de destaque para consolidação do SUS, tem-se o Agente Comunitário de Saúde (ACS), que deve, para desempenhar adequadamente suas funções, deter conhecimentos sobre este sistema. O presente
estudo possui como objetivo identificar os conhecimentos de ACS no município de Araripina - PE sobre o Sistema Único de
Saúde. Optou-se por abordagem qualitativa, realizada com 30 ACS do município de Araripina – PE, utilizando-se da técnica
de entrevista semiestruturada para coleta de dados e do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) como método de organização dos dados. ACS compreendem o conceito ampliado de saúde, mas percebe-se algumas lacunas no conhecimento acerca da legislação do SUS. Os participantes apontam a importância da Estratégia Saúde da Família (ESF) para consolidação do SUS, sendo por eles considerado porta de entrada do sistema. Além disso, relatam os principais problemas enfrentados no dia a dia para a efetividade
do serviço, como a falta de profissionais, medicação, demora na realização de consultas, bem como a falta de investimento e
fiscalização pelos gestores. É preciso desenvolver ações para uma melhor formação dos ACS, como uma educação permanente e maior investimento do governo na estruturação das equipes, possibilitando assim aos gestores uma visão mais crítica da atenção básica, facilitando a relação da equipe multiprofissional com a comunidade e a consolidação do SUS na melhoria da qualidade de vida da população.

Texto completo:

PDF

Referências


Marques RM, Mendes Á. Democracia, saúde pública

e universalidade: o difícil caminhar. Saude Soc

[periódico na Internet]. 2007 [acesso em 20 Set 2012];

(3):[aproximadamente 5 p.]. Disponível em http://

www. s c i e l o . b r / s c i e l o . p h p ? s c r i p t = s c i _ a r t t e x t & p i d

=S0104-12902007000300005

Rocha AA, Cesar CLG, organizadores. Saúde pública:

bases conceituais. São Paulo: Atheneu; 2008.

Portela LR, Dias ASA, Vasconcelos MIO. Programa nacional

de melhoria do acesso da qualidade da atenção básica: análise

da autoavaliação em Sobral, Ceará. Sanare 2013; 12(1):40-5.

Brasil. Ministério da Saúde. Constituição da República

Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal; 1988.

Silva MJ, Rodrigues RM. O agente comunitário de saúde

no processo de municipalização da saúde. Rev Eletr Enf

[periódico na Internet]. 2000 [acesso em 25 Ago 2012];

(1):[aproximadamente 07 p.]. Disponível em: http://www.

revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/678/748

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância

em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional

de Atenção Básica. 10ª ed. Brasília: MS; 2006.

Lefreve F, Lefreve AMC. O Discurso do sujeito coletivo:

um novo enfoque em pesquisa qualitativa. (Desdobramentos.

Caxias do Sul: Educs; 2003.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466/12

de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União 2012.

Traverso-Yépez MA. Dilemas na promoção da saúde no

Brasil: reflexões em torno da política nacional. Interface

- Comunic, Saude, Educ [periódico na Internet]. 2007

[acesso em 20 Ago 2012]; 11(22):[aproximadamente 16 p.].

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v11n22/04.

pdf

Lunardelo SR. O trabalho do Agente Comunitário de

Saúde nos núcleos de saúde da família em Ribeirão Preto

[dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo,

Escola de Enfermagem, 2004.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde

(CNS). Lei nº. 8.080 e Lei nº. 8.142. Brasília: CNS; 1990.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância

em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional

de Atenção Básica. 4ª ed. Brasília: MS; 2006.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Política Nacional

de Atenção Básica: revisão de diretrizes e normas para a

organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da

Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde

(PACS). Brasília: MS; 2011.

Björkman JW. Reformas de saúde em perspectiva

comparada: uma questão sem fim... ou uma busca improvável.

Cien Saude Colet [periódico na Internet]. 2009 [acesso em

Set 2012]; 14(3):[aproximadamente 8 p.]. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/csc/v14n3/12.pdf

Travassos C, Martins M. Uma revisão sobre os conceitos de

acesso e utilização de serviços de saúde. Cad Saúde Pública

[periódico na Internet]. 2004 [acesso em 21 Set 2012];

(2):[aproximadamente 9 p.]. Disponível em: http://www.

scielo.br/pdf/csp/v20s2/14.pdf

Tavares FL, Laignier MR, Silva MZ, Daros RF, Lima RCD.

O SUS que temos e a informação como estratégia de (in)

visibilidade. Saúde debate 2003; 27(65):405-13.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


S A N A R E  - Revista de Políticas Públicas

Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia - ESP-VS

Av. John Sanford, nº 1320 - Bairro Junco - Sobral/CE

CEP: 62030-362  - Fone:(88) 3614.5520

Email: revista_sanare@hotmail.com