SER MENTOR DISCENTE EM MEDICINA: O PERCURSO E A TRANSFORMAÇÃO

Francisco Willamy Pedrosa Alves Filho, David Elison de Lima e Silva, Guilherme Bruno Araújo, Karine Magalhães Fernandes Vieira, Roberta Cavalcante Muniz Lira

Resumo


Este estudo trata-se de uma investigação sobre a percepção dos próprios mentores discentes em relação às transformações e às aprendizagens obtidas no percurso da atividade de mentoring nos anos de 2015 a 2017, no curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará, campus Sobral. Numa pesquisa qualitativa, utilizou-se o método de triangulação dos dados entre três técnicas: entrevista semiestruturada aos mentores discentes, a observação não participante às reuniões dos grupos de mentoring e a análise documental dos relatórios feitos pelos mentores discentes após cada reunião. O mentor discente reconhece que, com a experiência do mentoring, conseguiu desenvolver melhores habilidades, dentre elas: comunicação, empatia, liderança, organização do tempo e dos métodos de estudo. Percebeu-se com esta pesquisa que o compartilhamento de experiências através do mentoring favorece o desenvolvimento pessoal e profissional do mentor discente, além de fortalecer os laços entre os acadêmicos, criando uma importante rede de apoio.


Texto completo:

PDF

Referências


Bellodi PL, Martins MA. Tutoria: mentoring na formação médica. São Paulo: Casa do psicólogo; 2005.

Kosoko-Lasaki O, Sonnino RE, Voytko ML, Salem W. Mentoring for women and underrepresented minority faculty and students: experience at two institutions of higher education. J nat med assoc [serial on the internet]. 2006 [cited 2021 June 02];98(9):1449-59. Available from: https://www.researchgate.net/publication/6774991_Mentoring_for_wo

men_and_underrepresented_minority_faculty_and_students_Experience_at_two_institutions_of_higher_education

Cristino G, Bezerra M, Pinto V. Curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará – Campus Sobral: nove anos de História. Sanare (Sobral, Online) [serial on the internet]. 2008 [cited 2021 June 02];7(2):97-103. Available from: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/37/32

Martins AF, Bellodi, PL. Mentoring: uma vivência de humanização e desenvolvimento no curso médico. Interface (Botucatu). 2018;58(20):715-26. doi: https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0432

Frazoi M, Martins G. Experiência de mentoring entre estudantes de graduação em enfermagem: reflexões e ressonâncias dialógicas. Interface (Botucatu). 2020;24:e190772. doi: https://doi.org/10.1590/interface.190772

Buddeberg-fischer B, Herta DK. Formal mentoring programmes for medical students and doctors: a review of the medicine literature. Medteach. 2006;28(3):248-57. doi: https://doi.org/

1080/01421590500313043

Fernandes WL, Costa CSL. Possibilidades da tutoria de pares para estudantes com deficiência visual no ensino técnico e superior. Rev bras educ espec. doi: 2015;21(1):39-56. https://doi.org/10.1590/S1413-65382115000100004

Tempski, PF. Avaliação da qualidade de vida do estudante de medicina e da influência exercida pela formação acadêmica [tese]. São Paulo (SP): Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo; 2008.

Gonçalves M, Bellodi PL. Ser mentor em medicina: uma visão arquetípica das motivações e transformações na jornada. Interface (Botucatu). 2012;16:501-14.

Rabatin JS, Lipkin M, Rubin AS, Schachter A, Mathan M, Kalet A. A year of mentoring in academic medicine: case report and qualitative analysis of fifteen hours of meetings between a junior and senior faculty member. J gen intern med. 2004;19(2):569-73. doi: https://doi.org/10.1111/j.1525-1497.2004.30137.x

Souza E, Lyra CO, Costa NDL, Rocha PM, Uchoa AC, et al. Metodologia da pesquisa: aplicabilidade em trabalhos científicos na área da saúde. 2. ed. Natal: Edufrn; 2019.

Tobar F, Yalour MR. Como fazer teses em saúde pública. Rio de Janeiro: ed. Fiocruz; 2001.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas; 2010.

Azevedo CEF, Oliveira LGL, Gonzalez RK, Abdalla MM. A Estratégia de Triangulação: Objetivos, Possibilidades, Limitações e Proximidades com o Pragmatismo. In: IV Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e contabilidade; Nov 2013. Brasília (DF): EnEPQ; 2013.

Lakatos EM, Marconi MA. Fundamentos de metodologia científica: Técnicas de pesquisa. 7. ed. São Paulo: Atlas; 2010.

Pope C, Mays N. Pesquisa qualitativa na Atenção à Saúde. 3. ed. Porto Alegre: Artmed; 2009.

Minayo MC. Apresentação. In: Gomes R, editor. Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Instituto Sírio Libanês; 2014.

Triviños AN. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas; 1987.

Zanette MS. Pesquisa qualitativa no contexto da educação no Brasil. Educ rev. 2017;65:149-66.

Brasil. Resolução n. 466 de 12 de dezembro de 2014: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: edições 70; 2011.

Brasil. Resolução n. 466 de 12 de dezembro de 2012: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2012.

Tapajós R. Objetivos educacionais na pedagogia das humanidades médicas: taxonomias alternativas. Rev Bras Educ Med. 2008;32(4):500-06. doi: https://doi.org/10.1590/S0100-55022008000400013

Alpes M, Wolf A. Tutoria acadêmica (“mentoring”): relato de experiência de um tutorado à tutor. Rev extensão em foco. 2018;16.

Association of American Medical Colleges. Recommendations for clinical skills curricula for undergraduate medical education. Washington (DC): AAMC; 2008.




DOI: https://doi.org/10.36925/sanare.v20i1.1550

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


S A N A R E  - Revista de Políticas Públicas

Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia - ESP-VS

Av. John Sanford, nº 1320 - Bairro Junco - Sobral/CE

CEP: 62030-362  - Fone:(88) 3614.5520

Email: revista_sanare@hotmail.com