PRODUÇÃO DO CUIDADO NA REDE DE ATENÇÃO AO CÂNCER DE MAMA: REVISÃO INTEGRATIVA

Francisca Alanny Rocha Aguiar, Thaianny Cordeiro de Sousa, July Grassiely de Oliveira Branco, Francisca Bertilia Chaves Costa, Amelia Romana Almeida Torres, Lidyane Parente Arruda

Resumo


O câncer de mama foi escolhido como condição diretiva para este estudo por constituir um dos problemas de saúde de maior prevalência no Brasil. Sob essa perspectiva, a colaboração interprofissional é uma medida a ser considerada para garantir uma atenção de qualidade. Objetivou-se analisar como ocorre a produção do cuidado na rede de atenção ao câncer de mama. Trata-se de revisão integrativa com busca realizada em outubro de 2016, na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), utilizando as bases de dados SciELO, Lilacs e Coleciona SUS. Foram cruzados os descritores “neoplasias de mama”, “comportamento cooperativo”, “serviços de saúde” e “Sistema Único de Saúde”. Diante dos achados, identificou-se o itinerário percorrido pela usuária no sistema de saúde, desde sua primeira consulta na Atenção Primária à Saúde (APS) até a efetivação do diagnóstico. As dificuldades desse sistema para efetivação dessa linha de cuidado no serviço de saúde evidenciaram que a espera prolongada pode trazer consequências graves. Enfatiza-se a importância da criação de dispositivos que ampliem a colaboração interprofissional e a linha de cuidado na rede de atenção ao câncer de mama, possibilitando a prestação de ações integrais e resolutivas.


Texto completo:

PDF

Referências


Moretti AC, Teixeira FF, Suss FMB, Lawder Juliana AC, Lima LSM, Bueno RE, et al. Intersetorialidade nas ações de promoção de saúde realizadas pelas equipes de saúde bucal de Curitiba (PR). Ciênc Saúde Colet [serial on the internet]. 2010 [cited 2018 May 4];15(Suppl 1):1827-34. Available from: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s1/095.pdf

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde; 2011.

Brasil. Diretrizes para a organização das RAS no âmbito do SUS. Portaria n. 4.279, de 30/12/2010. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2010.

Organização Mundial da Saúde. Marco para ação em educação interprofissional e prática colaborativa. Redes de profissões de saúde. Enfermagem e obstetrícia. Recursos humanos para a saúde. Brasília (DF): Organização Mundial da Saúde; 2010.

Brasil. Secretaria de Vigilância a Saúde [document on the internet]. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014 [cited 2018 May 17]. Available from: http://portalms.saude.gov. br/svs

Nettina SM. Prática de enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2012.

Rodrigues JD, Cruz MS, Paixão AN. Uma análise da prevenção do câncer de mama no Brasil. Ciênc Saúde Colet [serial on the internet]. 2015 [cited 2018 May 17];20(10):3163-76. Available from: http://www.scielo.br/ pdf/csc/v20n10/1413-8123-csc-20-10-3163.pdf

World Health Organization. International Agency for Research on Cancer. Geneva: WHO; 2016.

Brasil. Estimativa 2016/2017. Estimativa por tipo de câncer. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer; 2016.

Brasil. Doenças crônicas: câncer. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014.

Arruda RL, Teles ED, Oliveira FJF, Fontoura IG, Ferreira AGN, Machado NS. Prevenção do câncer de mama em mulheres atendidas em unidades básicas de saúde. Rev Rene [serial on the internet]. 2015 [cited 2017 Jan 20];16(2):143-9. Available from: http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/ riufc/12638/1/2015_art_rlarruda.pdf

Brouselle A, Champagne F, Contandriopoulos AP, Hartz Z, organizers. Avaliação: conceitos e métodos. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz; 2011.

Botelho LLR, Cunha CCA, Macedo M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão Sociedade [serial on the internet]. 2011 [cited 2018 May 17];5(11):121- 36. Available from: https://www.gestaoesociedade.org/ gestaoesociedade/article/view/1220/906

Cavalcanti LPG, Simões PSF, Silva MRR, Galdino PNR. Assistência em mastologia em uma unidade de referência do Sistema Único de Saúde no Ceará, Brasil. Rev Bras Cancerol. 2012;58(4):603-9. Available from: http://www.inca.gov.br/ rbc/n_58/v04/pdf/05-artigo-assistencia-mastologiaunidade-referencia-sistema-unico-saude-ceara-brasil.pdf

Barros AF, Uemura G, Macedo JLS. Atraso no diagnóstico e tratamento do câncer de mama e estratégias para sua redução. Femina. 2012;40(1):31-6.

Lourenço TS, Mauad EC, Vieira AC. Barreiras no rastreamento do câncer de mama e o papel da enfermagem: revisão integrativa. Rev Bras Enferm [serial on the internet]. 2013 [cited 2018 May 17];66(4):585-91. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n4/v66n4a18.pdf

Nicolaou PK, Padoin LV. O retrato das políticas públicas no tratamento do câncer de mama no Brasil. Rev Bras Mastologia [serial on the internet]. 2013 [cited 2018 May 17];23(3):92-4. Available from: http://www.rbmastologia. com.br/wp-content/uploads/2015/06/MAS_v23n3_92-94. Pdf

Bertocchi FM, Fernandes BM, Almeida MIG, Freitas SC, Paiva CCN, Paula EA. Conduta de profissionais durante a consulta de rastreio do câncer de mama e útero. Rev Rene [serial on the internet]. 2014 [cited 2017 Jan 20];15(6):973- 9. Available from: http://www.revistarene.ufc.br/revista/ index.php/revista/article/viewFile/1803/pdf

Azevedo e Silva G, Bustamante-Teixeira MT, Aquino EML, Tomazelli JG, Santos SI. Acesso à detecção precoce do câncer de mama no Sistema Único de Saúde: uma análise a partir dos dados do Sistema de Informação em Saúde. Cad Saúde Pública [serial on the internet]. 2014 [cited 2018 May 17];30(7):1537-50. Available from: http://www.scielo. br/pdf/csp/v30n7/0102-311X-csp-30-7-1537.pdf

Paiva CJK, Cesse EAP. Aspectos relacionados ao atraso no diagnóstico e tratamento do câncer de mama em uma unidade hospitalar de Pernambuco. Rev Bras Cancerol [serial on the internet]. 2015 [cited 2018 May 17];61(1):23-30. Available from: http://www.inca.gov.br/rbc/n_61/v01/ pdf/05-artigo-aspectos-relacionados-ao-atraso-nodiagnostico-e-tratamento-do-cancer-de-mama-em-umaunidade-hospitalar-de-pernambuco.pdf

Feijó AM, Leon LC, Costa VA, Pozza SB. Os caminhos de cuidado das mulheres com diagnóstico de câncer de mama. Av Enferm [serial on the internet]. 2016 [cited 2018 May 17];34(1):58-68. Available from: http://www.scielo.org.co/ pdf/aven/v34n1/v34n1a07.pdf 92 - SANARE, Sobral - v.17, n.01,p.84-92, Jan./Jun. – 2018

Traldi MC, Galvão P, Morais SS, Fonseca MRCC. Demora no diagnóstico de câncer de mama de mulheres atendidas no sistema público de saúde. Cad Saúde Coletiva [serial on the internet]. 2016 [cited 2018 May 17];24(2):185-91. Available from: http://www.scielo.br/pdf/cadsc/v24n2/1414-462Xcadsc-24-2-185.pdf

Brasil. Controle do câncer de mama. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer; 2016.

Brasil. Lei n. 12.732, de 22 de novembro de 2012. Dispõe sobre o primeiro tratamento de paciente com neoplasia maligna comprovada e estabelece prazo para seu início. Diário Oficial da União [serial on the internet], Brasília (2012 Nov 23 [cited 2018 May 17]); Sec 1. Available from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011- 2014/2012/lei/l12732.htm

Brasil. Diretrizes para a detecção precoce do câncer de mama no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer; 2015.

Farias LMA, Aguiar VCF, Carvalho AMF, Linhares JM, Linhares AEMS, Sousa AMM. Grupo de mulheres mastectomizadas: construindo estratégias de cuidado. Sanare (Sobral, Online) [serial on the internet]. 2014 [cited 2018 May 17];14(2):91-7. Available from: https://sanare. emnuvens.com.br/sanare/article/view/831/502


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


S A N A R E  - Revista de Políticas Públicas

Escola de Formação em Saúde da Família Visconde de Sabóia - EFSFVS

Av. John Sanford, nº 1320 - Bairro Junco - Sobral/CE

CEP: 62030-362  - Fone:(88) 3614.5520

Email: revista_sanare@hotmail.com