SISTEMA SAÚDE ESCOLA DE SOBRAL-CE

Carlos Hilton Albuquerque Soares, Vicente de Paulo Teixeira Pinto, Maria Socorro de Araújo Dias, José Reginaldo Feijão Parente, Maristela Inês Osawa Chagas

Resumo


O presente artigo versa sobre a história do Sistema Saúde Escola de Sobral, que tem seu marco no ano de 1997. O Sistema Saúde Escola de Sobral pode ser definido como um modelo ampliado de organização dos processos de ensino – aprendizagem, integrado à rede local de saúde. Nesta, o conjunto dos fazeres, das experiências acumuladas e reflexões que ocorrem nos territórios de abrangência da Estratégia Saúde da Família é compreendido como sendo potencialmente pedagógico e soma-se aos inúmeros processos formais sistematizados pelos espaços regulares de educação existentes no município. A aprendizagem, por sua vez, é potencializada na medida em que se tem como pressuposto básico a Educação Permanente, a Educação por Competência e a Educação Popular e, ainda, a importante articulação entre gestão, atenção, ensino e pesquisa com vistas à efetivação da promoção da Saúde. Para concluir, podemos considerar ainda que o Sistema Aprendente é um processo onde o aprender se constrói e se fortalece mediante sua integração, sábia e delicadamente, a uma grande rede institucional, social e humana disponíveis no território.


Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, D.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Psicologia educacional. Rio de Janeiro: Interamericana, 1980.

BARRENNE, M. E. I.; ZUNGA, F. V. Competência profissional. SENAC, 2004.

BRANDÃO, I. R. A roda como método de ser, conhecer e fazer. Mímeo, 2006.

BUBER, M. Eu e tu. São Paulo: Moraes, 1979. CAPRA, F. A Teia da vida. Uma nova compreensão científica

dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1996. CUNHA, G. T. A construção da Clínica ampliada na atenção

básica. São Paulo: Hucitec, 2005. DEMO, P. Certeza da incerteza: ambivalência do

conhecimento e da vida. Brasília: Planos, 2000.

DIAS, M. S. A. O Semblante da Clínica Dialítica no contexto da promoção da saúde: reflexões dos profissionais sobre sua práxis. 2005. 192f. Tese (Doutorado em Enfermagem). Universidade Federal do Ceará. Programa de Pós-graduação em Enfermagem, Fortaleza, 2005.

DIAS, M. S. A. et al. Secretaria de Saúde de Sobral: construindo um sistema aprendente. Revista Sustentação, n. 19, p. 32-33, abr./ jul. 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 7. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GADOTTI, M. Concepção dialética da educação: um estudo introdutório. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

JUNQUEIRA, L. A. P. Intersetorialidade, transetorialidade e redes sociais na saúde. Revista de Administração Pública, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2000.

LEFÉBVRE, H. Lógica formal e lógica dialética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

LIMA, V. V. Competência: distintas abordagens e implicações na formação profissional de saúde. Interface – Comunicação, saúde e educação, v. 9, n. 17, p. 369- 79, mar./ago. 2005.

MATURARA, H. R.; VARELA, J. F. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athenas, 2001.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, Brasília: UNESCO, 2000.

NEWMAN, F.; HOLZMAN, L. Lev Vygotsky: cientista revolucionário. São Paulo: Loiola, 2002.

PRIGOGINNE, I. O fim das certezas: tempo, caos e as leis da natureza. São Paulo: UNESP, 2003.

TAILLE, Y. L.; OLIVEIRA, M. K.; DANTAS, H. Teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


S A N A R E  - Revista de Políticas Públicas

Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia - ESP-VS

Av. John Sanford, nº 1320 - Bairro Junco - Sobral/CE

CEP: 62030-362  - Fone:(88) 3614.5520

Email: revista_sanare@hotmail.com